Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal

História

Celpe_2013_Foto_Dario_Zalis-9487-peq.jpg

A empresa nasceu em  10 de fevereiro de 1965 como Companhia de Eletricidade  de Pernambuco - CELPE.  Foi criada a partir da fusão do Grupo Pernambuco Tramways e o Governo do Estado, com as funções desempenhadas pelo Departamento de Águas e Energia (DAE). O maior desafio da nova Companhia foi o de ampliar a distribuição de energia elétrica, investir na melhoria dos serviços e dotar Pernambuco de uma rede de abastecimento elétrico referência no Nordeste.
Em pouco tempo, a CELPE já se firmava como uma das grandes empresas do estado e até os dias de hoje é um dos maiores patrimônios dos pernambucanos, tanto pelo celeiro técnico que passou a desenvolver no ramo da engenharia elétrica como pelo alcance social de suas atividades. Ter luz elétrica em casa não era apenas sinônimo de status, mas também de cidadania.
Os investimentos  aumentaram a velocidade dos programas de eletrificação rural e urbana, o  que rapidamente levou Pernambuco a ser o estado mais eletrificado do Nordeste. Diante desse cenário, a empresa se tornou um dos carros-chefes do desenvolvimento, gerando empregos diretos e indiretos, e sendo ainda responsável, a partir de 1988, pela geração e distribuição da energia termelétrica no Arquipélago de Fernando de Noronha.
Ao final da década de 90, já sob o modelo de privatização das estatais do setor elétrico, o Governo do Estado, que desde o final dos anos 80 já ensaiava vender parte das ações da Companhia,  colocou 100% do controle governamental à venda. Em 17 de fevereiro de 2000, a empresa foi adquirida em leilão, realizado na sede da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro e sob a coordenação do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), pelo valor de R$ 1,9 bilhão. O grupo que comprou a empresa foi o consórcio formado pela Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ), pela carteira de investimentos do Banco do Brasil (BB S.A) e pelo Grupo Iberdrola, um gigante da energia na Espanha.
Desde que foi privatizada, a empresa já repassou ao tesouro estadual mais que o dobro do seu valor de compra e se transformou no maior arrecadador de ICMS para o Estado. A Celpe acredita contribuir efetivamente para o desenvolvimento de Pernambuco.
19​65 - Foi criada a Companhia de Eletricidade de Pernambuco - Celpe.
 
1970 - Em 72, iniciou a construção do edifício-sede, na Avenida João de Barros, 111, Boa Vista. Três anos depois, em 1975, mudou sua sede para o novo edifício e Iniciou a construção do Centro de Treinamento Delmiro Gouveia, no Bongi.
                                                                                
1980 - A Fundação Celpe de Seguridade Social - Celpos - foi implantada oficialmente no ano de 1981. Começam os estudos para exploração de energia solar. Em convênio com o governo francês, a Companhia instala um coletor solar no Centro de Operações do Bongi, um projeto pioneiro no Brasil. Em 1986, a Empresa muda sua razão social para Companhia Energética de Pernambuco.
 
1990 - Busca da qualidade e agilidade dos serviços, modernização e informatização, implantação de sistemas alternativos de energias, redução dos custos e melhoria da confiabilidade no fornecimento. Em1999, Foi escolhida a melhor empresa distribuidora da Região Nordeste pelo Instituto Vox Populi. No mesmo ano, o Centro de Operação do Sistema é certificado pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) na NBR ISO 9002:94.
 
2000 - Foi comprada pelo Consórcio Guaraniana, formado pela Iberdrola Energia, Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ) e BB Banco de Investimentos S.A.
 
2001 - O racionamento de energia marcou o ano em todo o país. Foi inaugurado o Centro de Operações Integradas (COI) e a nova central de teleatendimento. Duas importantes subestações entraram em funcionamento: Tabatinga e Pina. Ampliação do atendimento com a inauguração de agências e pontos Celpe.
 
2002 - Eletrificação de mais de 15 mil propriedades rurais. Construção de mais quatro subestações no interior do Estado. Conquistou o 1º Prêmio Balanço Social concedido pelo Instituto Ethos, Abamec, Aberje, Fides e Ibase, o que consolida a sua política de responsabilidade social.
 
2003 - Investimento de R$ 25 milhões para a consolidação da implantação do Sistema Comercial (SIC), cadastro que proporciona o avanço da Empresa em todas as funções de atendimento.
 
2004 - Nova identidade visual adotada. A Guaraniana passou a se chamar Neoenergia. A Companhia aprova o Comitê de Ética. Nesse ano, também é lançada a conta de energia em modelo braile.
 
2005 - A Companhia faz 40 anos de prestação de serviços à população pernambucana e passa pelo primeiro ciclo de revisão tarifária periódica. Construção de linhas de transmissão no interior, litoral e Região Metropolitana.
 
2006 - Continuou a implementar melhorias na sua rede, com um investimento recorde de R$ 343,4 milhões. Esse montante confere à empresa o posto de maior investidor privado no Estado de Pernambuco. Lançou o Programa de Responsabilidade Social Energia para Crescer, com foco em educação, cultura e meio ambiente.
 
2007 - O ano foi marcado pela adesão da Celpe aos Dez Princípios do Pacto Global da ONU, compromisso também assumido pelas demais empresas geradoras e distribuidoras do Grupo Neoenergia. A Empresa segue ampliando seus investimentos em expansão de rede, ordenização, pesquisa e desenvolvimento, eficiência energética e universalização de energia. Nesse ano, atinge um índice global de universalização de 99,3%, o que a posiciona como a primeira distribuidora do Nordeste a atingir esse patamar.
 
2008 - A Celpe alcança 100% dos clientes urbanos de sua área de concessão. É criado o Comitê de Responsabilidade Social na Celpe e no Grupo Neoenergia. Reconstrução da Usina de Tubarão, no distrito de Fernando de Noronha, que está apta a operar com biodiesel. A Empresa coordenou a 18ª edição do Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica (Sendi), realizada em Pernambuco, o maior evento do setor de energia elétrica do País, com a participação de mais de 3,3 mil pessoas.
 
2009 - A empresa se submete ao segundo ciclo de revisão tarifária periódica. Amplia, após a privatização, o atendimento e o número de consumidores de 1,9 milhões para 3 milhões. No atual cenário, a Celpe mantém a constante busca por eficiência e qualidade, com ética, compromisso socioambiental, contribuindo para o desenvolvimento de Pernambuco e do Brasil.

2010 - A Celpe chega aos 45 anos de fundação, dez dos quais, sob o controle do Grupo Neoenergia. Em abril, após autorização da Aneel, a empresa aplica uma redução média de 8,7% na tarifa de energia dos pernambucanos. No mesmo ano, a agência de classificação de risco Standard & Poor's concede à Neoenergia o grau de investimento em escala global e eleva o conceito da Celpe, que cresce duas posições. A evolução para BB+\Stable na Escala Global e brAA+\Estável na Escala Nacional Brasil coloca a concessionária pernambucana a um passo da avaliação máxima.

2011 – A Celpe conquista grau de investimento da agência Standard & Poor´s e se torna a primeira empresa de origem pernambucana a obter a classificação de risco em escala internacional. A classificação da Celpe passou de ‘BB+’ para ‘BBB-‘ na Escala Global e ‘brAA+’ para ‘brAAA’ em Escala Nacional Brasil.

2012 – A empresa anuncia a construção da primeira usina solar fotovoltaica do Estado. A Usina Solar São Lourenço da Mata, instalada ao lado da Arena Pernambuco, entrou em operação em novembro de 2013. A unidade com potência instalada de 1 megawatt pico (MW/p), capacidade suficiente para gerar 1.500 MW/h por ano, equivale ao consumo de seis mil habitantes.

2013 – A concessionária passa pelo terceiro ciclo de Revisão Tarifária, realizado periodicamente pela Aneel com todas as distribuidoras de energia elétrica do país. Em Pernambuco, esse processo ocorre a cada quatro anos. A empresa supera a marca de 3,2 milhões de clientes em sua área de concessão, mantando o compromisso de com o desenvolvimento do Estado.

2014 – Com foco na sustentabilidade e preservação ambiental da Ilha de Fernando de Noronha, a Celpe inaugura a primeira usina solar fotovoltaica do arquipélago. Situada no Comando da Aeronáutica, em um terreno de 5.000 m², a Usina Solar Noronha I tem potência instalada de 400 kWp (quilowatt-pico), o que resulta na geração estimada de 600 MWh/ano, cerca de 4% do consumo da ilha.

2015 – A Celpe completa 50 anos com os mais de 3,4 milhões de clientes atendidos pelo inovador sistema de leitura e faturamento da conta de energia. O procedimento permite a e missão imediata da fatura após a coleta do consumo. Ao longo das cinco décadas, a empresa vem investindo em segurança, mordenização dos seus processos, ampliação da rede e na sustentabilidade.

 

CONHEÇA A HISTÓRIA DA CELPE EM DETALHES
 


​​