Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Fernando de Noronha terá carro elétrico abastecido por energia solar
Recife, 08 de Outubro de 2015 – A ilha de Fernando de Noronha dará mais um passo em busca da sustentabilidade e contará com o primeiro carro elétrico movido, exclusivamente, por energia solar fotovoltaica. A iniciativa integra o projeto piloto em Redes Elétricas Inteligentes (REI), idealizado pela Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), empresa do Grupo Neoenergia, para avaliar o desempenho operacional do automóvel numa área de preservação ambiental e ainda reduzir a utilização de combustíveis fósseis no arquipélago.
O veículo, modelo utilitário da Renault (Kangoo Z.E), tem autonomia de 130 quilômetros e será incorporado à frota da empresa e utilizado de forma experimental em serviços de pequeno porte. A escolha do modelo, com dois lugares, considerou as potencialidades do automóvel, o perfil geográfico da região onde irá circular, condições climáticas e as características das atividades que apoiará. O estudo, que faz parte de um Projeto de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico (P&D) da Celpe, regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), contou com o apoio e suporte técnico do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD). O órgão atuou no levantamento dos diferentes tipos de veículos e fabricantes disponíveis no Brasil e no exterior, avaliando eficiência, consumo, potencial de uso e outros.
Para abastecê-lo de forma sustentável, contribuindo com a redução de emissões de carbono na ilha, a Celpe também irá instalar um eletroposto solar, na área interna da Usina Tubarão, totalmente isolado do sistema de distribuição de energia elétrica. A estrutura, no formato de um estacionamento, será constituída por painéis fotovoltaicos, que formarão um telhado. Um banco de baterias armazenará toda a energia gerada, possibilitando recarregar o veículo elétrico em qualquer horário, mesmo na ausência da radiação solar como o período da noite ou em dias de chuva. Os painéis fotovoltaicos terão potência instalada de 4,5 kWp e capacidade para gerar 20,1 kWh/dia, o suficiente para permitir que o veículo circule durante todo o dia, atendendo aos clientes da Celpe, na ilha.
No total estão sendo investidos na ação recursos da ordem de R$ 800 mil, correspondente à aquisição do veículo e a instalação do posto de abastecimento solar. De acordo com o gerente do projeto, José Aderaldo Lopes, a iniciativa visa, sobretudo, contribuir para a preservação ambiental da ilha, explorando fontes renováveis de energia. “O veículo elétrico, por utilizar energia renovável, é uma solução ambientalmente sustentável. Trata-se de uma opção que trará bons retornos para Noronha e a população da ilha”, destacou.
Para avaliar os benefícios da ação e identificar melhorias, serão analisadas, periodicamente, todas as informações coletadas pelos condutores do veículo, como quilometragem rodada, quantidade e tempo de recarga, consumo, entre outras. Com os dados, a Celpe poderá avaliar a quantidade de gás que deixou de ser lançado na atmosfera e planejar novos projetos voltados para a preservação do paraíso ecológico.  
SMART GRID - Nos últimos três anos, a Celpe vem realizando uma série de inovações no sistema elétrico de Noronha. O Arquipélago será o primeiro local em Pernambuco a contar com Redes Elétricas Inteligentes (REIs) instaladas pela Celpe. A concessionária, por meio do Programa de P&D, deu início à criação de um sistema que vai reunir as principais tecnologias nas áreas de medição, telecomunicações, tecnologia da informação e automação em um único produto. Entre os benefícios da nova rede estão o controle remoto de praticamente todos os processos, como leitura e religação, além da identificação e correção mais rápida de falhas no sistema. No total serão investidos R$ 17,6 milhões durante os quatro anos e meio de implantação do projeto. 
USINAS - O Arquipélago de Fernando de Noronha já conta com duas usinas solares fotovoltaicas instaladas pela Celpe, em parceria com o Comando da Aeronáutica e o Governo do Estado. A primeira, Noronha I, foi inaugurada em julho de 2014 e recebeu um aporte financeiro de R$ 5 milhões. A Usina Solar Noronha II entrou em funcionamento em julho deste ano com recursos da ordem de R$ 6,4 milhões. As duas unidades respondem por cerca de 10% do consumo de energia de Noronha. A construção dos dois empreendimentos contou com apoio técnico de agências de fomento internacional. O governo norte-americano, por meio a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), participou da primeira usina e a Agência de Cooperação Alemã (GIZ) contribuiu com as duas iniciativas. Para implantação dos projetos, foram realizados estudos de viabilidade técnica e econômica.
 

IMG_6225.JPG