Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
​Celpe e BNDES investem na melhoria da educação pública em parceria com o Governo do Estado e UNICEF​

Recife, 20 de março de 2018
– A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), uma empresa do Grupo Neoenergia, se uniu ao UNICEF e ao BNDES para melhorias na educação pública em Pernambuco, especialmente reduzindo o analfabetismo e a exclusão escolar. Ao todo, 55 mil crianças de 15 municípios pernambucanos serão beneficiadas com as ações do Programa Educação Integrada (PEI) do Governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual de Educação, e financiado com recursos da concessionária, provenientes de subcrédito social do BNDES. Nos próximos dias 20 e 21 de março, representantes dessas instituições recebem mais de 440 educadores, no Hotel Canarius, em Gravatá (ver serviço abaixo), para dar início à implantação da inciativa com a realização da primeira etapa de qualificação dos profissionais envolvidos.

O objetivo é fortalecer as séries iniciais do Ensino Fundamental. As ações contam com suporte do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e são direcionadas para o aumento no índice de alfabetização de crianças na idade certa, redução da distorção entre idade e série, redução da evasão escolar, melhoria das condições de ensino e da oferta da educação infantil no país, e melhoria do Ensino Fundamental com reflexos projetados no aumento no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). Para isso, o PEI desenvolve estratégias de formação de professores e gestores, além de qualificação de ambientes pedagógicos para potencializar práticas comprometidas com a aprendizagem inclusiva e no tempo certo, contribuindo com a melhoria dos resultados e indicadores de escolas públicas em Pernambuco.


Segundo o IBGE, a taxa de analfabetismo em Pernambuco, de 15,4%, é o dobro da média nacional, de 8,0% (PNAD, 2015). A distorção entre idade e série também é mais acentuada no Estado do que a média brasileira, segundo o INEP (2016). Enquanto em Pernambuco 21% das crianças e adolescentes estão com atraso superior a dois anos nos anos iniciais (6 a 10 anos) e 36% nos anos finais (10 a 14 anos) do Ensino Médio, a média brasileira gira em torno de 14% e 30%, respectivamente. Os municípios contemplados pelo programa foram escolhidos com base em indicadores socioeconômicos e de desenvolvimento educacional aquém do esperado, considerando municípios com população entre 10 mil e 200 mil habitantes. As cidades são: Afogados da Ingazeira, Arcoverde, Bom Conselho, Bonito, Cabrobó, Camaragibe, Flores, Floresta, Itapissuma, Salgueiro, Santa Cruz do Capibaribe, São Bento do Una, Tamandaré, Timbaúba, Trindade.


As ações vão abranger mais de 350 escolas e envolver cerca de 4.700 professores que serão capacitados ao longo do ano para que não haja interferência no calendário pedagógico. A jornada de formação será iniciada na próxima semana com a capacitação dos gestores das escolas por meio de palestras e oficinas temáticas com foco em gestão democrática.​